guajará

Madeira de Guajará: preço, detalhes e características

Página Inicial » Madeiras » Madeira de Guajará: preço, detalhes e características

O Guajará é uma madeira muito fácil de ser trabalhada, especialmente com ferramentas como o torno e broca. Além disso, esse é um tipo de madeira muito resistente a pragas e também muito durável.

Origem da madeira Guajará

A madeira Guajará é proveniente da floresta Amazônica, mas é cultivada em outros estados brasileiros, como veremos a seguir. Popularmente conhecida também pelo nome de Curupixá, não é tão comum como outras madeiras de reflorestamento. Contudo, se está buscando a melhor opção para o seu projeto, vale a pena conferir as suas características.

Utilizada principalmente em telhados, a madeira Guajará é bem fácil de ser trabalhada. A sua leveza e qualidade permitem ser utilizada para outras finalidade também. É uma madeira que colabora com a preservação do meio ambiente. 

Dados técnicos sobre a madeira Guajará

guajara

Confira todos os dados técnicos sobre o Guajará, como seu nome científico, suas ocorrências territoriais mais comuns, características gerais de durabilidade, processamento e aplicação.

Nome científico/técnico:

Micropholis venulosa.

Nomes populares:

Abiorana-mangabinha, abiu-guajará, bacumixá, crubixá, cubixá, curubixá, gogó-de-guariba, grubixá, grumixá, grumixava, curupixá, pau-de-remo, rosadinho, salgueiro.

Principais ocorrências:
  • Nacional: Amazônia, Amazonas, Maranhão, Pará, Rondônia.
  • Internacional: Não ocorre.

Características gerais do Guajará

guajará face tangencial
Zoom na face tangencial.
guajará face radial
Zoom na face radial.
guajará Fotomacrografia
Fotomacrografia (10x)

Cerne e alburno indistintos pela cor, bege-rosado; brilho moderado; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; dura ao corte; grã ondulada a direita; textura fina.

  • A sua durabilidade é média, mais com o tratamento adequado a sua vida útil é prolongada por muitos anos;
  • O seu cheiro é quase imperceptível;
  • O seu brilho é médio e sua textura é fina;
  • A sua cor varia entre marrom, rosado leve e um forte avermelhado;
  • Permite que se trabalhe nela com broca e torno, pode – se também utilizar verniz, tinta, e outros materiais bons para acabamento, deixando-a impecável.

Tratamento e durabilidade do Guajará

Durabilidade: madeira moderadamente resistente à podridão-branca e muito resistente à podridão-parda. É susceptível ao ataque de cupins-de-Madeira-seca. Cerne susceptível a ação de fungos manchadores.

Tratamento: alburno moderadamente fácil de tratar.

Processamento do Guajará

A Madeira de guajará é fácil de ser trabalhada no torno e na broca, resultando em excelente acabamento.

Secagem: a secagem é rápida ao ar, com tendência a arqueamento moderado e a rachaduras leves a moderadas.

Principais aplicações do Guajará

  • Aplicações externas
    • Andaimes
  • Aplicações internas
    • Portas
    • Venezianas
    • Painéis
    • Forros
    • Móveis
    • Ripas
    • Decoração

Preço médio do Guajará

O Guajará pode ser encontrado no mercado por um preço médio de:

R$110,00

por m².

Características da aplicação na construção civil

Características da aplicação na construção civil

Confira as peculiaridades da madeira Guajará em suas aplicações em projetos arquitetônicos: 

Assoalho de madeira Guajará

 A Guajará, ou Curubixá, como também é conhecida, é mais macia que o Carvalho, outro tipo de madeira comum para assoalho. Por essa característica ela é mais propensa a descoloração após a instalação. Então, para evitar problemas, é aconselhável não colocar um tapete no chão logo depois da instalação.

O assoalho de curubixá é uma peça que aceita diferentes finalizações, como por exemplo óleo ou laca. A laca manterá o piso com a aparência natural da curubixá. Já o óleo, é ideal para quem quer que o assoalho fique com uma cor mais escura.

Porta de Guajará

A madeira Guajará também é bastante utilizada na confecção de portas e outras aberturas. Para essa finalidade não há recomendações específicas, além da realização do tratamento necessário. 

E também não há como errar na hora de escolher o modelo, pois todos dão um toque charmoso ao ambiente. 

Móveis de Guajará

A madeira de Guajará serve também para a fabricação de móveis e objetos decorativos. O seu tom natural, mais claro, é perfeito para elementos que serão adicionados em projetos clean e minimalistas.

Madeira Guajará pode ser usada no telhado?

Madeira Guajará pode ser usada no telhado

Sim. A madeira Guajará pode ser usada no telhado. Inclusive, é uma ótima opção para essa finalidade, pois apresenta boa qualidade e durabilidade. 

Para compor o telhado a madeira tem que estar aparelhada. Madeiras aparelhadas são aquelas que foram cortadas em galopas e lixadas para tirar farpas, deixando-as lisas, prontas para usos com melhores acabamentos.

Apesar de ser comum a maioria das espécies de madeira servirem para essa finalidade, o que permite ao comprador escolher a que mais gostar, a de Guajará é especialmente escolhida por sua resistência. Além disso,  oferece um ótimo acabamento, uma superfície lisa e pronta, fácil de ser envernizada.

Madeira Guajará dá cupim?

A madeira de Guajará é muito resistente às pragas no geral incluindo cupim. Contudo, como a maioria das madeiras naturais, quando não é tratada, fica suscetível aos ataques dos cupins e outras pragas, como os fungos manchadores. Além disso, a peça não tratada pode sofrer rachaduras leves ou médias.

Então, apesar da sua excelente resistência, o recomendado é que a madeira seja devidamente tratada e receba periodicamente as manutenções necessárias. Desta forma, a vida útil da peça é prolongada por um longo período. 

Madeira Guajará Bolacha

Um dos tipos mais conhecidos de madeira Guajará é a madeira Guajará Bolacha. Essa espécie em especial  produz sementes sementes importantes para a preservação do meio ambiente. 

As sementes da árvore Guajará Bolacha colaboram intensamente para a  recuperação florestal, principalmente em áreas degradadas. A germinação das sementes do Guajará Bolacha é feita de maneira lenta e desuniforme. As árvores são encontradas principalmente na região norte do Brasil, são de grande porte, podendo atingir 45 metros de altura e 150 metros de diâmetro.

Nomes populares:

  • Abiú;
  • Abiu – branco;
  • Abiu – Ucuubarana;
  • Abiurana;
  • Goiabão;
  • Guajará – amarelo;
  • Guajará – vermelho.

Aplicações: 

  • Embarcação;
  • Esquadrilha;
  • Guarda – sol;
  • Palete;
  • Escultura;
  • Móveis;
  • Instrumentos musicais;
  • Caixotaria;
  • Estrutura de cobertura;
  • Cabos de ferramentas e utensílios;
  • Piso e revestimento.

Como fazer o tratamento da madeira Guajará?

Como fazer o tratamento da madeira Guajará

O tratamento da madeira Guajará nada mais é do que a realização do processo de impermeabilização. A técnica recomendada é a mesma, independente da espécie escolhida, e o resultado também é inteiramente satisfatório. 

Esse passo é o que garante a durabilidade e resistência da peça, protegendo inclusive das pragas, como comentamos. Por isso, apesar de simples, vale a pena seguir a risca e garantir a saúde da sua madeira de Curupixá. 

O princípio da impermeabilização é criar uma camada de proteção. Para isso, existem alguns produtos disponíveis no mercado. Os mais comuns são os impermeabilizantes, vernizes e óleos. O ideal é contar com a indicação do especialista que lhe atender. 

Neste conteúdo vamos apresentar o processo de impermeabilização com verniz. Mas os primeiros passos devem ser seguidos independente do produto. Portanto, poderá acompanhar os passos e no momento de aplicar o produto, siga as instruções do rótulo. 

Neste conteúdo vamos descrever o passo a passo da impermeabilização com o verniz, um dos mais utilizados no setor. 

Materiais necessários para a envernização:

  • Madeira de Guajará;
  • Uma bancada ou cavaletes para apoiar a madeira;
  • Lixas 80, 100 e 120 (ou 150) para a preparação;
  • Lixas 320 ou 360 para o acabamento do verniz;
  • Latas de verniz necessárias;
  • Pincéis para a aplicação de verniz;
  • Um pano limpo.

Passo a passo para envernizar madeira Guajará:

1. Monte o seu espaço de trabalho

Trabalhar em um espaço desorganizado é sinônimo de fracasso. Ajuste um ambiente em que você consiga identificar todos os objetos necessários, que comporte a madeira que receberá o tratamento e que tenha um suporte para colocá-la, assim você evita problemas de saúde e dor nas costas. 

2. Lixe a madeira

Depois de estar devidamente acomodado é o momento de lixar a madeira. A primeira passada é com a lixa mais grossa, como a 80, ela irá remover as imperfeições mais brutas da madeira. O processo pode ser feito totalmente à mão, mas caso queira acelerar, ferramentas como a lixadeira orbital, podem auxiliar. 

Na medida em que as imperfeições maiores vão sumindo, vá diminuindo as lixas para as mais finas, como a número 100 e 120 (ou 150). As lixas com texturas mais finas permitem um acabamento mais liso e granular, o que facilita a aplicação do verniz e dá um toque de elegância. 

3. Remova a poeira da madeira

Esse passo provavelmente nem precisasse existir, pois ao finalizar o lixamento certamente perceberá que é impossível seguir os próximos passos sem remover a poeira que essa etapa causou. Mas é sempre bom indicar: utilize o pano limpo e seco para remover toda a poeira.

4. Passe o verniz na madeira

A primeira demão de verniz servirá para criar a camada inicial do produto, que ajudará na fixação das próximas. Cada verniz possui uma forma de aplicação própria, alguns requerem a mistura de solvente outros não. Mas o ideal é ler as orientações no rótulo para não comprometer a qualidade. 

Para aplicação, utilize o pincel em movimentos regulares. Sendo um produto de fácil aplicação, dificilmente deixa marcas na superfície, mas é melhor seguir essa recomendação para evitar surpresas nas próximas demãos. 

Depois da primeira demão, espere secar entre 4 e 8 horas. O recomendado é sempre seguir o tempo descrito na embalagem. Após, com uma lixa 320 ou 360, realize um novo lixamento da superfície por completo.

O objetivo deste passo não é remover o produto mas sim  criar uma superfície mais abrasiva e que fará com que o verniz agarre melhor na madeira nas seguintes demãos.

Depois é só continuar aplicando as demãos conforme orientação da embalagem. Alguns produtos não exigem diluição após a aplicação da primeira demão. Isso fará com que o acabamento final seja mais robusto e duradouro.

Aplique quantas demãos forem necessárias para atingir o resultado desejado, sempre respeitando o tempo de secagem entre cada uma delas. 

Como fazer a manutenção da madeira Guajará? 

Como fazer a manutenção da madeira Guajará_ 

Se você seguir o passo a passo para a impermeabilização da madeira Guajará, a manutenção da peça não será nem de longe um problema. 

A manutenção da madeira Guajará requer somente a aplicação anual de pelo menos uma demão de verniz. Ou seja, basta seguir o passo a passo de impermeabilização, mas sem tantas aplicações de verniz. 

Caso a superfície apresente sujeiras, remova realizando o mesmo processo de lixamento. Caso contrário, faça apenas a aplicação. Claro que tudo é uma questão de análise, se achar desnecessário o período de um em um ano, aumente um pouco o intervalo. 

Onde comprar madeira de Guajará?

A madeira Guajará, assim como outras espécies, pode ser comprada nas diversas casas de construção e madeireiras. No mercado livre também é possível comprar esse tipo de madeira muitas vezes até com preços mais baixos.

Mas é importante lembrar de sempre comprar madeira de forma legal. Ainda hoje existem diversos locais que vendem madeiras ilegais. Eles além de contribuir para a depredação do planeta, ainda não oferecem garantia de qualidade. 

Qual madeira é melhor Guajará ou Angelim? 

Quando se trata de madeira é normal que algumas comparações surjam, como “qual madeira é melhor Guajará ou Angelim?”. Mas a verdade é que não existe melhor e nem pior. Cada uma possui suas características, o que quer dizer que são melhores para algumas aplicações. 

No caso da Guajará e da Angelim, a Angelim é mais usada para a fabricação de portas, janelas e outras estruturas. Já a Guajará é indicada para compor telhados leves, podendo ser usada para ripas, por exemplo. Contudo, isso não quer dizer que ambas não possam servir para finalidades opostas. 

Madeira Guajará ou Parajú?

Outra comparação comum é entre a madeira Guajará e a Maçaranduba, conhecida também como Parajú. Então, se você está se perguntando “madeira Guajará ou Parajú?”, saiba que ambas são famosas na construção de telhados e não existe superioridade entre elas. 

A madeira Maçaranduba é conhecida por sua resistência e dureza e é difícil de trabalhar. Já a Guajará é mais leve e não exige muito esforço em seu manuseio. 

Madeira de Guajará é boa?

Sim. Como pudemos ver ao longo do texto, a madeira de Guajará é boa. A sua durabilidade e resistência são características que a destacam. Mas a sua versatilidade de aplicação, permitindo a confecção de peças para a construção civil, móveis, entre outras áreas, também é um fator determinante para o seu sucesso. 

Já a experiência com a madeira é potencializada quando a mesma recebe o tratamento adequado, que qualifica ainda mais sua resistência e oferece um acabamento impecável para todas as utilizações. E apesar de não ser tão resistente a fungos e cupins, o tratamento mencionado também resolve esse problema. 

Por fim,  as sementes da árvore de onde vem a madeira Guajará são muito importantes para a recuperação das florestas, ajudando a preservar o meio ambiente. Desta forma, deve-se considerar utilizar a Guajará, pois além de sua madeira ser excelente para várias funções, ainda é importante para ajudar ao reflorestamento.

Veja também outros tipos de madeira:

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *