permacultura

Permacultura: o que é e como ela transformará a sua vida

banner cibersistemas

Aqui em nosso blog já abordamos algumas tendências bastante populares nos últimos anos (especialmente entre as gerações Y e Z) como as Tiny Houses, Domos Geodésicos e Casas Pré-fabricadas. Neste artigo, abordaremos mais uma: a permacultura.

A permacultura é um braço da agricultura ecológica e natural que emprega uma abordagem holística no cultivo da terra. Não é, como muita gente costuma pensar, apenas mais uma moda hipster que veio para deixar tudo mais caro e gourmetizar a produção agrícola.

Neste post, vamos explorar um pouco mais o conceito de Permacultura e entender melhor seus benefícios à saúde, à terra e também às comunidades integradas por essa metodologia de cultivo incrível. Vamos lá?

O que é a Permacultura?

A permacultura integra terra, recursos, pessoas e meio ambiente por meio de sinergias mutuamente benéficas — imitando os sistemas de ciclo fechado e sem desperdício vistos em diversos sistemas naturais.

A permacultura estuda e aplica soluções holísticas que são aplicáveis ​​em contextos rurais e urbanos em qualquer escala. É uma caixa de ferramentas multidisciplinar que inclui agricultura, coleta de água e hidrologia, energia, construção natural, silvicultura, gestão de resíduos, sistemas animais, aquicultura, tecnologia apropriada, economia e desenvolvimento comunitário.

Permacultura (palavra cunhada por Bill Mollison, considerado um expoente da agricultura permanente) é o projeto consciente de manutenção de ecossistemas agrícolas produtivos que têm a diversidade, estabilidade e resiliência de ecossistemas naturais. É a integração harmoniosa da paisagem e das pessoas — fornecendo alimentos, energia, abrigo e outras necessidades materiais e não materiais de maneira sustentável. Sem agricultura permanente não há possibilidade de um desenvolvimento social e econômico estáveis e a longo prazo.

O design da permacultura propõe um sistema de montagem de componentes conceituais, materiais e estratégicos em um padrão que funciona para beneficiar a vida em todas as suas formas.

A filosofia por trás da permacultura é trabalhar com, ao invés de contra, a natureza; investir em observação prolongada e cuidadosa, em vez de ação prolongada e impensada; é olhar para os sistemas em todas as suas funções, em vez de pedir apenas um rendimento deles; é permitir que os sistemas demonstrem suas próprias evoluções e se integrar à elas.

Como a base da permacultura é o design benéfico, ela pode ser adicionada a todos os outros treinamentos e habilidades éticas e tem o potencial de ocupar um lugar em todos os empreendimentos humanos. Numa abordagem mais ampla, no entanto, a permacultura concentra-se em áreas já assentadas e terras agrícolas. Quase todos esses ambientes precisam de reabilitação e mudanças drásticas nas metodologias de cultivo e consumo adotadas.

Apesar de ser uma abordagem holística, como tudo na vida é preciso implementar paulatinamente e não radicalmente. As chances de integrar o abastecimento de alimentos ao provisionamento de moradia, uma simples coleta de água nossos telhados à uma área de irrigação ou vegetação nativa são simples numa realidade específica, mas em escala global (ondem têm o maior potencial de impacto na reabilitação de sistemas naturais) tornam-se longas e complexas.

O que impera em nossa sociedade atual é a diferença real entre um ecossistema cultivado (projetado, com grandes latifúndios e indústrias como nossa única fonte de abastecimento) e um sistema natural: onde, no primeiro sistema, a grande maioria das espécies (e biomassa) na ecologia cultivada se destina ao uso de humanos ou de seu gado. Somos apenas uma pequena parte do conjunto total de espécies primitivas ou naturais, e apenas uma pequena parte de sua produção está diretamente disponível para nós.

O objetivo da Permacultura

O objetivo da Permacultura não é focar somente na entrega de valor e manutenção saudável do individuo, mas também criar uma ética centrada na natureza e para a conservação da natureza. Não podemos, entretanto, fazer muito pela natureza se não governarmos nossa ganância e se não suprirmos nossas necessidades com nossas cidades e sociedades atuais. Se conseguirmos atingir esse objetivo, podemos nos retirar de grande parte da paisagem agrícola e permitir que os sistemas naturais floresçam novamente.

A reciclagem de nutrientes e energia na natureza é uma função de muitas espécies. Em nossos jardins, é nossa responsabilidade devolver os resíduos (via composto ou cobertura morta) ao solo e às plantas. Nós ativamente criamos solo em nossos jardins, enquanto na natureza muitas outras espécies desempenham essa função. Ao redor de nossas casas, podemos pegar água para uso no jardim, mas contamos com paisagens de floresta natural para fornecer ar puro e chuva para manter os rios correndo com água limpa, manter a atmosfera global e para bloquear em certa medida nossos poluentes.

Assim, mesmo as pessoas antropocêntricas fariam bem em prestar muita atenção e auxiliar na conservação das florestas existentes e auxiliar na conservação de todas as espécies existentes e permitir-lhes um lugar para viver. Mesmo que não é adepto da Permacultura faz parte do seu objetivo.

A Permacultura de Bill Mollison

Bill Mollison, natural da Tasmânia foi quem primeiro cunhou o termo 1978, definindo a Permacultura como:

“O projeto consciente e a manutenção de sistemas produtivos agrícolas que tenham a diversidade, estabilidade e resiliência dos ecossistemas naturais. É a integração harmoniosa da paisagem com as pessoas fornecendo alimentos, energia, abrigo e outras necessidades materiais e não materiais de forma sustentável. ”

Em outras palavras, a permacultura é uma visão de mundo holística, que vive em harmonia com a natureza, bem como uma abordagem técnica de como fazê-lo, como apontamos no início do artigo.

Mollison acabou se tornando professor de biogeografia e psicologia ambiental na Universidade da Tasmânia, onde conheceu David Holmgren, um estudante graduado na época, que o ajudou a desenvolver os princípios e práticas que agora são difundidos em todo o mundo através de experiências imersivas em terras que foram desenvolvidas com uma abordagem de Permacultura.

A palavra Permacultura pretende ser uma contração de “permanente” e “agricultura”, que, como observa Holmgren, foi expandida para incluir cultura” além da agricultura. A raiz da palavra “permanente” pretende ser uma referência à sustentabilidade — uma sociedade insustentável iria, por definição, eventualmente deixar de existir; seria impermanente. Os praticantes são conhecidos como Permacultores.

Falecido em 2016, Mollison era conhecido como um sujeito mal-humorado, mulherengo e boca suja, o que é estranho dado o estereótipo hipster que foi dado à maioria de seus seguidores. Mas ele não era nada senão charmoso e tinha jeito com as palavras, escrevendo vários livros ao longo dos anos, incluindo o robusto Permaculture: A Designer’s Manual, que é a bíblia do movimento. 

Ele também estrelou Global Gardener, uma série documental feita para a televisão pública australiana no início dos anos 90, que agora é um clássico cult disponível gratuitamente online (veja a playlist acima). 

Seu trabalho foi e ainda é até hoje amplamente criticado pela comunidade alheia às descobertas científica, assim como seus seguidores por uma certa subversão cultural e incapacidade de explicar o que a palavra significa (como se isso bastasse para invalidar uma filosofia).

Nada disso impediu a permacultura de ser altamente influente no discurso da agricultura sustentável e estilos de vida verdes. Embora a permacultura tenha sido em grande parte um movimento social underground, seus ideais e conceitos têm borbulhado cada vez mais. 

Principais bandeiras da Permacultura

Para tentar resumir e organizar melhor as ideias sobre o que é como funciona a Permacultura, abaixo listamos um resumo das principais bandeiras ou defesas da Permacultura.

Sistemas fechado

Qualquer sistema que forneça suas próprias necessidades de energia é inerentemente sustentável. Este conceito pode ser estendido além de coisas como biocombustíveis e energia solar para o que os permacultores chamam de “insumos”, como alimentos e fertilizantes.

Por exemplo, em vez de importar fertilizantes para uma fazenda ou jardim, o sistema poderia ser projetado para atender suas próprias necessidades de fertilização — talvez de esterco de gado ou plantações de cobertura. E se você está criando gado, certamente deve tentar fornecer toda a comida para seus animais no local, seja cultivando grãos, plantações de forragem ou reciclando resíduos de cozinha como ração animal.

Qualquer permacultor que se preze lembraria a você que um sistema de loop fechado de sucesso transforma desperdício em recursos e problemas em soluções. “Você não tem um problema de caracóis, você tem uma deficiência de pato”, Mollison gostava de dizer, o que faz todo o sentido se você já viu como os patos devoram caracóis alegremente.

Culturas perenes

Permacultores não são os únicos a reconhecer que arar a terra uma ou duas vezes por ano não é muito bom para o solo. É por isso que eles defendem o uso de culturas perenes que são plantadas apenas uma vez e serão produtivas por quase todas as suas vidas, em vez de culturas anuais que exigem cultivo constante. 

A agrossilvicultura, o cultivo de árvores comestíveis e plantas associadas, é enfatizada — pense nas plantações de café ou cacau à sombra aqui na América do Sul. O único problema é que poucas safras que a maioria de nós come são perenes; mas não há dúvida de que, se pudéssemos substituir todas as monoculturas de milho, soja e trigo do mundo por sistemas agroflorestais (ainda alimentando o mundo), a agricultura seria muito mais sustentável.

Funções Múltiplas

Uma das ideias mais originais da permacultura é que cada componente de uma estrutura ou paisagem deve cumprir mais de uma função. A ideia é criar um sistema integrado e autossuficiente por meio do desenho estratégico e do posicionamento de seus componentes. 

Por exemplo, se você precisa de uma cerca para conter animais, pode projetá-la de modo que também funcione como um quebra-vento, uma treliça e uma superfície reflexiva para direcionar o calor e a luz extras para as plantas próximas. Uma caixa d’água de chuva pode ser usado para cultivar plantas aquáticas e peixes comestíveis, além de fornecer água para irrigação.

Terraplanagem ecológica

A conservação da água é o foco principal em fazendas e jardins de permacultura, onde a terra é frequentemente esculpida com cuidado para direcionar até a última gota de chuva para algum propósito útil. 

Isso pode assumir a forma de terraços em terrenos íngremes; valas em terrenos moderadamente inclinados (que são valas largas e rasas destinadas a capturar o escoamento e fazer com que ele penetre no solo ao redor das plantações); ou um sistema de canais de plantio em terreno baixo e pantanoso. O último é inspirado nos chinampas dos antigos astecas, uma abordagem para o cultivo de alimentos, peixes e outras safras em um sistema integrado, muitas vezes chamado pelos permacultores como a forma mais produtiva e sustentável de agricultura já concebida.

Deixe a natureza fazer o trabalho por você

O credo da permacultura talvez seja melhor capturado nos mantras Mollisonianos de “trabalhar com, em vez de contra, a natureza”. Na prática, essas ideias são realizadas com coisas como galinheiros móveis, onde o comportamento natural de ciscar e caçar insetos das galinhas é aproveitado para limpar uma área de pragas e ervas daninhas na preparação para o plantio. 

Assim, os atributos naturais das galinhas eliminam a necessidade de se preocupar com fertilizantes ou com desmatar ou queimar um espaço antes de realizar o plantio. Ao deixar a natureza fazer o trabalho de agricultura e jardinagem para você, é possível alcançar outra das famosas máximas de Mollison : “maximizar o tempo deitado na rede”.

Aprenda mais sobre a Permacultura

Gostou de entender o que é a Permacultura e seus principais preceitos? A gente sabe que é difícil cobrir um assunto tão amplo e digno de curso de universidade em apenas um artigo, mas nós podemos te recomendar um curso e alguns livros para complementar seu aprendizado.

Curso completo de Permacultura Instituto Pindorama

Aprenda com especialistas como implementar a Permacultura em uma casa, terreno, sítio ou até mesmo em uma bairro ou cidade. A Permacultura é a ferramenta de transformação mais importante da atualidade. Ela trabalha trás soluções para todas as atividades humanas acontecerem de forma sustentável e em equilíbrio com o Planeta.

Recomendação de livros sobre Permacultura

Avalie este post!
[Total: 1 Média: 5]

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *