tipos de piso

18 tipos de piso: madeira, cerâmica, porcelanato e muito mais

Escolher quais tipos de piso utilizar em uma obra pode parecer algo trivial e que tem a ver apenas com a estética e decoração do ambiente. No entanto, o tipo de piso precisa ser escolhido pensando em muitos outros fatores que ajudarão a determinar sua durabilidade e segurança de uso.

Com diferentes tipos de materiais e acabamentos, os pisos contam com um leque de opções quase infinito. As aplicações também não poderiam ser mais diversas, sendo possível utilizá-los em casas de madeira, casas de alvenaria ou até mesmo em galpões industriais. Portanto, é essencial escolher o tipo correto de piso.

Neste post vamos lhe mostrar os 18 principais tipos de piso do mercado, explicando um pouco mais sobre sua aplicação, recomendações de uso e preço médio. Dessa forma, você vai ter certeza que está escolhendo o melhor piso para seu imóvel. Bora pro artigo?

18 tipos de piso residenciais e/ou comerciais

Os tipos de pisos que escolhemos para este post podem ser utilizados tanto em projetos residenciais quanto comerciais. Em cada um deles informaremos as principais características, sua recomendação de uso e também uma estimativa de preço médio:

1. Piso de madeira (assoalho de madeira)

O piso de madeira é um tipo de piso conhecido por muitos nomes, sendo os principais assoalho de madeira e piso de tábua corrida.

Este piso consiste em tábuas de madeira dispostas paralelamente formando um acabamento refinado e linear.

Existem tipos de madeira específicas para este piso, entre elas o Ipê, que é uma madeira com muita resistência.

Aplicações recomendadas:

piso não resistente à água ideal para imóveis

Imóveis residenciais, preferencialmente em ambientes internos e sem contato com água.

Preço médio: entre R$70,00 e R$140,00/m².

2. Piso laminado de madeira

O piso laminado de madeira alia a beleza do acabamento com madeira ao custo x benefício de um revestimento industrializado.

Fabricado com madeira aglomerada, o laminado consiste de finas chapas de madeira que se encaixam para formar a cobertura do piso.

Versátil, é um dos tipos de piso que podem ser instalados sobre o contrapiso ou até mesmo sobre outros pisos antigos, tornando-o interessante para projetos de reformas e revitalizações.

Aplicações recomendadas:

piso não resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais (2)

Imóveis residenciais ou comerciais em ambientes internos que não tenha contato com água ou umidade como banheiros, cozinhas, sacadas e áreas de serviço.

Preço médio: entre R$80,00 e R$120,00/m².

3. Piso taco

O piso taco é um tipo de piso de madeira cortada em pequenos blocos que se encaixando para formar a cobertura do piso.

Geralmente fabricados em Cumaru, Jatobá, Peroba Rosa e Ipê, o taco tem um acabamento mais vintage e foi muito utilizado entre as décadas de 1960 e 1990.

Muito resistente, esse tipo de piso também pode ser reciclado e encontrado em locais especializados em madeiras de demolição.

Aplicações recomendadas:

piso não resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais em ambientes internos que não tenha contato com água ou umidade como banheiros, cozinhas, sacadas e áreas de serviço.

Preço médio: entre R$100,00 e R$120,00/m².

4. Piso Parquet

O piso parquet é similar ao taco, porém ele conta com um processo de instalação em forma de mosaico, proporcionado um acabamento com formas e cores diferentes.

No piso parquet, podem ser combinados além de formatos de piso diferentes também madeira distintas, o que dá uma cor diferente para cada bloco.

Muito interessante e mais comumente encontrado em casas antigas ou prédios históricos, a mão de obra para esse tipo de piso costuma elevar o preço do revestimento.

Aplicações recomendadas:

piso não resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais ou comerciais em ambientes internos que não tenha contato com água ou umidade como banheiros, cozinhas, sacadas e áreas de serviço.

Preço médio: entre R$120,00 e R$150,00/m².

5. Piso de Cerâmica

Os pisos de cerâmica são os mais utilizados em obras e imóveis brasileiros. Com uma gama de tamanhos que vão desde os 20×30 cm aos 100×100 cm, opções não faltam.

A quantidade de acabamentos e cores para esses tipos de piso também é grande, contando com texturas distintas e níveis de resistência que se adequam a quase todos os usos.

A classificação de resistência é feita pelo índice PEI, que veremos em detalhes mais adiante no artigo.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Obras residenciais e comerciais, tanto em ambientes internos quanto externos (desde que respeitadas as indicações de aplicação do fabricante).

Preço médio: entre R$45,00 e R$80,00/m².

6. Piso de Porcelanato

O piso de porcelanato tem um acabamento mais fino do que a cerâmica. Feito de porcelana e outros minerais, ele também possui inúmeros acabamentos.

O porcelanato pode ser encontrado nos acabamentos polido, acetinado, natural e struturado.

Os pisos de porcelanato que imitam madeira também são muito populares, especialmente em ambientes externos que combinam com esses tipos de piso como jardins e sacadas.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Obras residenciais e comerciais, tanto em ambientes internos quanto externos (desde que respeitadas as indicações de aplicação do fabricante).

Preço médio: entre R$70,00 e R$120,00/m².

7. Piso de Cimento Queimado

Com suas origens mais ligadas ao custo x benefício, o cimento queimado é um tipo de piso que em sua origem era majoritariamente utilizado em galpões e imóveis industriais.

Porém, com novas tendências arquitetônicas nos últimos 15 anos, ele ganhou espaço na alta arquitetura e hoje é um dos tipos de piso preferidos para trazer um acabamento sóbrio e industrial a imóveis residenciais.

Esse tipo de piso tem bastante durabilidade e é relativamente fácil de se aplicar, já que se adapta facilmente aos contornos da casa.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Obras residenciais e comerciais, tanto em ambientes internos quanto externos.

Preço médio: entre R$80,00 e R$110,00/m².

8. Piso de Ladrilho Hidráulico

O ladrilho hidráulico é um tipo de revestimento muito versátil, podendo ser instalado tanto no piso quanto nas paredes.

Um dos grandes diferenciais desse tipo de piso é a variedade de cores, desenhos e acabamentos. Um dos mais famosos é conhecido como “azulejo português”.

O ladrilho é resistente à agua, mas os modelos mais adornados e delicados podem ter uma resistência à carga menor quando comparado com a cerâmica e o porcelanato.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Obras residenciais e comerciais, tanto em ambientes internos quanto externos.

Preço médio: entre R$35,00 e R$120,00/m².

9. Piso de Ardósia

O piso de ardósia tem boa durabilidade e é muito resistente à água, o que o faz uma boa opção custo x benefício para áreas externas.

Muito popular na década de 1980, a ardósia exige cuidado pois com o tempo pode apresentar manchas ou até mesmo desbotar.

Outro problema comum desse tipo de piso é que ele pode rachar com o tempo, não sendo muito recomendado para altas cargas.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais

Imóveis residenciais, tanto em ambientes internos quanto externos (como os decks de piscina, por exemplo).

Preço médio: entre R$45,00 e R$75,00/m².

10. Piso de Mármore

O mármore é uma opção de piso premium, que traz um acabamento refinado e bastante atrativo, sendo quase sinônimos de imóveis de alto padrão.

Proveniente da extração do calcário, o mármore é uma pedra que apresenta diversas tonalidades e cores naturais totalmente únicos.

Por não tem uma peça igual à outra, o mármore também ajudar a trazer originalidade ao acabamento e à decoração do ambiente.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais e comerciais, somente em ambientes internos e sem muita carga.

Preço médio: entre R$300,00 e R$1.500,00/m².

11. Piso de Granito

O piso de granito também é muito utilizado na construção civil e tem uma série de aplicações tanto residenciais quanto comerciais.

Proveniente da mistura de mica, quartzo e feldspato, ele agrega muita resistência e costuma estar presente em saguões de grandes obras como aeroportos, shoppings e também casas.

Além de durável, o granito é belo e conta com tonalidades que vão do cinza claro ao preto e podem combinar muito com a madeira.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais e comerciais, tanto em espaços internos quanto externos.

Preço médio: entre R$250,00 e R$600,00/m².

12. Piso de Granilite

Também comum em grandes espaços como aeroportos e shoppings, o granilite tem bastante resistência à carga e também à água.

Sua composição básica é uma mistura de concreto com pequenos pedaços e lascas de quartzo, granito e outras pedras.

O resultado é um acabamento que lembra o cimento queimado, mas que ganha vida e detalhes com os pequenos pedaços de pedras de difernetes cores.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais e comerciais, tanto em espaços internos quanto externos.

Preço médio: entre R$60,00 e R$80,00/m².

13. Piso de Silestone

Ainda entre os tipos de piso pouco populares no Brasil, o Silestone é um tipo de piso sintético construído a base de quartzo, metais e vidro.

Seu acabamento é refinado e possui ilimitadas cores e pigmentos. Ideal para substituir pedras naturais como o mármore.

Uma de seus desvantagens é não ser resistente aos raios UV, sendo recomendado apenas para ambientes internos e residenciais.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais

Imóveis residenciais em ambientes internos, protegidos do sol.

Preço médio: entre R$1.350,00 e R$2.550,00/m².

14. Piso de Pastilhas

O piso de pastilhas traz um acabamento diferente ao ambiente e pode ser uma boa opção de piso tanto para ambientes internos quanto externos.

Esses tipos de piso podem ser encontrados em uma variedade de cores e materiais que vão desde o vidro até materiais sintéticos a base de resina plástica.

Existem opções econômicas em que as pastilhas são coladas juntas em fileiras, que facilitam a instalação. Porém, pastilhas individuais elevam o custo com mão de obra.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais

Imóveis residenciais, tanto em ambientes internos quanto externos.

Preço médio: entre R$60,00 e R$120,00/m².

15. Piso Vinílico

O piso vinílico é um dos tipos de piso sintéticos fabricado com resina de PVC. Ele pode imitar diversos acabamentos, mas geralmente é encontrado imitando madeiras como o mogno e o carvalho.

Esse piso é uma opção em contra e de fácil instalação, já que pode ser colado sobre outros pisos e facilmente modelado em quinas e cantos.

Por ser uma espécie de borracha, ele tem uma boa capacidade de absorção de barulho de passos e objetos caindo, sendo interessante para apartamentos.

Aplicações recomendadas:

piso não resistente à água ideal para imóveis

Imóveis residenciais em ambientes internos e sem contato com a água.

Preço médio: entre R$35,00 e R$75,00/m².

16. Piso de Resina Epóxi

O piso de resina epóxi tem se tornado muito popular pela facilidade de aplicação e qualidade do acabamento.

Também conhecido como porcelanato líquido ou piso 3D, é um revestimento feito à base de resina que é despejado sobre o contrapiso ou até mesmo outros pisos antigos.

Pode receber inúmeros acabamentos e até mesmo desenhos de formas irreverentes.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais e comerciais, mais recomendado para ambientes internos (porém ainda possui resistência à água e umidade).

Preço médio: entre R$150,00 e R$350,00/m².

17. Piso Emborrachado

Ainda que não muito associados aos imóveis residenciais, os pisos emborrachados têm ganhado cada vez mais espaço.

Muito interessante para ambientes com idosos ou crianças, esse piso pode ser colado sobre outros revestimentos e garante muita aderência e segurança para quem pisa.

Com opções de diversas cores, também pode ser usado para combinar com a decoração e os acabamentos do imóvel.

Aplicações recomendadas:

piso resistente à água ideal para imóveis residenciais e comerciais

Imóveis residenciais e comerciais, mais recomendado para ambientes internos para maior durabilidade, mas também pode ser instalado em ambientes externos como playgrounds (requer mais manutenção).

Preço médio: entre R$25,00 e R$45,00/m².

18. Piso de Carpete

Muito popular nos Estados Unidos, o carpete tem uma relação de amor e ódio com os brasileiros.

Ideal para ambientes internos de pouca circulação como os quartos, eles são bem confortáveis especialmente na época do frio.

No entanto, são super difíceis de limpar e podem trazer problemas respiratórios para o lar se não for bem cuidado.

Aplicações recomendadas:

Imóveis residenciais e comerciais, em ambientes protegidos da luz, água e umidade.

Preço médio: entre R$75,00 e R$150,00/m².

Como escolher os tipos de piso ideais para seu imóvel?

Para escolher o tipo de piso ideal para seu imóvel é preciso equilibrar a estética com a funcionalidade do piso. Ou seja, por mais que seja belo um piso de mármore em seu jardim, sua durabilidade exposto a ambientes externos será de poucos anos e o investimento irá para o ralo.

Portanto, além de escolher um piso bonito, certifique-se de que ele também atende as necessidades do projeto em termos de carga, durabilidade e resistência aos elementos como água, sol e umidade.

Confira a resistência e porosidade dos tipos de piso

A porosidade de um piso cerâmico ou de porcelanato tem relação direta com a resistência e durabilidade do piso. De maneira geral, a porosidade determina a absorção de água do material e como isso irá afetar a estrutura interna do piso com o tempo.

Um piso cerâmico, por exemplo, costuma ter um índice de absorção de água maior ou igual a 10%, aproximadamente. Outros pisos com compostos do tipo grês, por exemplo, podem absorver entre 0,5% e 3% apenas. Isso tem impacto direto na durabilidade o piso.

Outra característica para ficar de olho é a abrasividade do revestimento, ou a resistência ao desgaste sofrido pelo piso quando em uso. O contato direto com o tráfego de animais, pessoas, veículos e até mesmo o peso de objetos como móveis influenciam nesse desgaste.

Por sorte, existe um índice de resistência adotado pelo mercado que é capaz de mensurar essa resistência. É o índice PEI (Porcelain Enamel Institute), uma escada que vai de 0 a 5 onde quanto maior o número, mais resistente e durável será o piso.

ABRASÃOAPLICAÇÃO RECOMENDADA
GRUPO 0Não recomendado para pisos
PEI-1Banheiros e dormitórios
PEI-2Ambientes sem porta para o ambiente exterior
PEI-3Cozinhas, corredores, halls de entrada residenciais, sacadas e quintais
PEI-4Áreas comerciais, hotéis, show rooms, salões de venda, etc.
PEI-5Áreas públicas, shoppings, aeroportos, supermercados, entre outros
Tabela do Índice PEI (Porcelain Enamel Institute).

Também existe um índice de resistência voltado para os pisos laminados de madeira. O conceito é similar ao índice PEI, mas aqui as classificações têm um índice composto e vão desde o AC2 ao AC5, sendo que o AC2 é o que tem menor resistência e o AC5 é o mais resistente:

TABELA DE RESISTENCIA PISOS LAMINADOS

Faça uma avaliação do ambiente

Avaliar o ambiente antes de escolher o tipo de piso também vai garantir que você não terá dores de cabeça no futuro. Avaliações mais básicas como se o piso será instalado em ambiente interno ou externos são essenciais, mas você não deve parar por aí.

Verifique também se haverá a necessidade de suportar grandes cargas como em garagens ou academias residenciais indoor, se o piso será instalado em espaços de transição entre ambientes secos e molhados e até mesmo a luminosidade que o espaço recebe.

O sol pode queimar o acabamento e o verniz de determinados pisos e isso pouco ou quase nunca é avaliado antes da escolha. Existem pisos que suportam bem os raios UV e duram muitos anos, mas alguns outros nem tanto. Portanto, não deixe de avaliar nenhum detalhe.

Escolha a temperatura dos tipos de piso

A temperatura do piso está diretamente ligada ao conforto e sua experiência no dia a dia dentro do seu próprio lar. Existem pisos mais recomendados para regiões quentes e outros recomendados para regiões mais frias, ainda que no Brasil as temperaturas altas sejam mais predominantes.

Tipos de pisos frios

Os pisos frios são aqueles que ajudam a resfriar ou trazer uma sensação de fresco ao ambiente e aos pés. Esses pisos são feitos de materiais que não absorver a temperatura com facilidade e conseguem se manter sempre mais frescos que a temperatura ambiente (se não expostos ao sol).

Enquadram-se nessa categoria os pisos de porcelanato, cerâmica, ladrilho hidráulico, cimento queimado, mármore, granito, granilite e também a resina epóxi.

Tipos d pisos quentes

Já os pisos quentes são aqueles que conferem a sensação de calor e aconchego ao ambiente e também aos pés. Esses pisos funcionam como uma espécie de isolante térmico, absorvendo a temperatura e impedindo a passagem e o resfriamento do ar.

Enquadram-se nessa categoria os pisos de madeira, os carpetes e os pisos vinílicos.

Entenda se existem necessidades especiais

Outro ponto de avaliação importante é entender se o piso precisará cumprir algumas funções especiais. Por exemplo: oferecer mais aderência, segurança, etc. Tudo isso pode ser avaliado antes da instalação, desde que você já tenha planejado o uso do espaço em seu projeto.

Pisos antiderrapantes

Os pisos antiderrapantes são essenciais em áreas com declives e/aclives, áreas molhadas, ao redor de piscinas, etc. Eles oferecem um acabamento capaz de conter escorregões e evitar muitos acidentes, portanto vale a pena investir em pisos com essas características nesses espaços.

Pisos para pets

Se você possui pets também vale a pena avaliar os pisos mais confortáveis para seu amiguinho. Geralmente os pisos preferidos pelos pets são os de madeira e os vinílicos, por contarem com uma superfície mais macia e confortável para as patinhas dos pets.

Avalie a relação custo benefício

Depois de avaliar tudo o que recomendamos acima, é hora de olhar para o custo x benefício do tipo de piso escolhido. Um piso caro não necessariamente será uma aquisição ruim, já que ele pode durar por várias décadas e manter um acabamento e beleza incríveis com o passar dos anos.

Portanto, para avaliar se u piso valerá a pena para você tente equilibrar os 3 itens seguintes:

Custo do piso

O primeiro fator que irá influenciar na relação custo x benefício dos pisos é o custo do piso escolhido. Pisos como o porcelanato são um pouco mais caros que os cerâmicos, mas possuem um acabamento superior. Já pedras naturais como o mármore tem um preço muito mais caro, mas também podem valorizar o imóvel.

Portanto, escolha o material que mais se adeque a seu objetivo: se você quer economizar, quem reformar o imóvel para vender ou se quer investir para seu conforto e para que ele se valorize com o tempo. A longo prazo, pisos mais caros costuma compensar o valor investido.

Instalação e mão de obra

Outro fator importante no custo é a mão de obra associada ao tipo de piso escolhido. Pisos cerâmicos e porcelanatos têm tamanho padronizado e ampla mão de obra disponíveis, fazendo com que não seja muito caro trabalhar com esses pisos.

Já pisos mais especializados como o parquet exigem mão de obra especializada e um trabalho de um artesão para concluir com um bom resultado. Isso com certeza irá influenciar no preço.

Manutenção e limpeza

A manutenção e a limpeza também irão influenciar no custo ao longo do tempo. De forma geral, pisos frios são mais fáceis de limpar e exigem muito menos manutenção que os pisos quentes (com exceção dos laminados, tacos e assoalhos que podem durar bastante e serem relativamente fáceis de limpar).

Os pisos que mais sofrem nesse item são aqueles feitos de superfícies muito maleáveis como os vinílicos e os emborrachados, além do mais complicado de todos: o carpete.

O carpete acumula muita sujeira e para realizar uma limpeza efetiva é preciso contratar mão de obra especializada, o que pode ser uma dor de cabeça dependendo da frequência com que é necessário limpá-lo.

Conclusão: quais tipos de piso escolher?

Bom, se você levar em consideração todas as nossas dicas com certeza será capaz de escolher os melhores tipos de piso para seus projetos. Avalie não somente o lado estético, mas também o lado funcional dos pisos. Isso vai garantir um balanço entre beleza e durabilidade que farão cada centavo do seu dinheiro valer a pena.

Ficou com alguma dúvida em relação aos tipos de piso? Deixe nos comentários!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *